gtag('config', 'UA-117084423-1');

Aqui no blog nós já abordamos as diferenças entre os três tipos de serviços em nuvem algumas vezes, assim como as particularidades e vantagens de cada um para facilitar a tomada de decisão de quem está fazendo esta escolha agora. 

 

No post de hoje, então, vamos falar sobre os principais aspectos da cloud híbrida e solucionar algumas das principais questões que giram em torno do assunto. Acompanhe!

Panorama da cloud híbrida

 

De acordo com o relatório anual State of the Cloud Report 2021, da Flexera, a crise sanitária iniciada em 2020 mostrou um grande aumento nos gastos em multi-cloud e cloud híbrida. Em 2021 este cenário permanece em alta. Os gastos atuais estão maiores do que nunca, e o investimento em computação em nuvem continua prioridade entre as empresas ao redor do mundo.

O relatório da Flexera afirma que 92% das empresas entrevistadas apoiam suas operações sobre estratégias multi-cloud. Quanto aos investimentos em cloud híbrida, este número é um pouco menor, chegando a 82%.  

Com relação ao valor global do mercado de computação em nuvem, a Grand View Research estima que, em 2020, ele tenha chegado a US $ 274,79 bilhões, com uma expectativa de crescimento a uma taxa composta (CAGR) de 19,1% de 2021 a 2028.

Se você ainda se questiona sobre os motivos que levam executivos e tomadores de decisão a escolher a configuração híbrida para suas organizações, entenda as principais vantagens desta tecnologia a seguir. 

Principais vantagens da nuvem híbrida

Alguns benefícios apresentados pelo misto de configurações de nuvem têm feito com que a tecnologia tenha grande aceitação entre as empresas em busca da transformação digital. São elas:

Flexibilidade

Empresas que estão começando a modernizar suas operações dificilmente conseguem fazer a transição de uma vez só. Isso quer dizer que, quase sempre, as tecnologias legadas precisam continuar existindo ao mesmo tempo que os novos sistemas, e é necessário uma infraestrutura que consiga lidar com as duas configurações.

Neste caso, as organizações escolhem investir em cloud híbrida porque é a melhor forma de migrar cargas de trabalho de infraestruturas tradicionais e modernas e também entre fornecedores de nuvem sempre que necessário.

Gestão de custos

As empresas que escolhem a nuvem privada precisam investir em infraestrutura e data center próprios, e isso tem um custo bastante elevado. Já a nuvem pública oferece recursos e serviços nos quais toda a manutenção fica por responsabilidade da fornecedora, sendo cobrados como despesas variáveis de acordo com o volume de uso. 

Os usuários da nuvem híbrida podem usar as infraestruturas privadas e públicas de determinado fornecedor, executando suas cargas de trabalho no ambiente que for mais econômico.

Agilidade e escalabilidade

Os recursos da nuvem pública são bastante superiores ao data center físico das empresas. Com a cloud híbrida, é possível provisionar, implantar e dimensionar recursos de acordo com a necessidade do momento. Sempre que a demanda excede a capacidade do data center local é possível migrar o aplicativo para a nuvem pública e aumentar a capacidade. 

Resiliência e interoperabilidade

Para aumentar a resiliência, uma empresa pode executar cargas de trabalho de forma redundante em ambientes privados e públicos. Os componentes de uma carga de trabalho também podem ser executados em ambos os ambientes e interoperar.

Conformidade de dados e LGPD

As exigências de conformidade de dados, sobretudo após o início da Lei Geral de Proteção de Dados, determinam que organizações de segmentos altamente regulamentados não podem mover todas as cargas de trabalho para a nuvem pública. 

A nuvem híbrida, neste caso, surge como uma ótima alternativa para manter os dados em um ambiente privado enquanto operam cargas de trabalho sensíveis na nuvem, ou podem operar cargas de trabalho em um data center privado e mover os dados para a nuvem pública sempre que necessário. Isso permite que as empresas atendam aos requisitos regulamentares e ainda se beneficiem da elasticidade da nuvem.

O papel da cloud híbrida na transformação digital

Como dissemos acima, optar pela nuvem pública é um excelente início para quem busca modernizar a infraestrutura de TI. Porém, nem sempre este processo é rápido e feito de uma vez só. 

Algumas aplicações legadas podem não aceitar configurações modernas, ou então as exigências relacionadas à segurança de dados pessoais podem dificultar a migração total para a nuvem pública, sendo necessário manter um data center privado.

A nuvem híbrida permite que empresas com tipos de dados e aplicações mistas migrem partes de sua infraestrutura de TI para a nuvem e mantenham as aplicações locais que devem permanecer no data center.

Dicas práticas para estruturar a cloud híbrida na sua empresa

É claro que as vantagens de escolher trabalhar com cloud híbrida são muito grandes, mas, por outro lado, esta decisão traz alguns desafios que precisam ser levados em consideração. 

Acompanhe agora 3 dicas práticas para implementar a nuvem híbrida na sua empresa.

Equipe de TI especializada

O primeiro passo para implementar a nuvem híbrida com sucesso é entender que a equipe de TI que ficará responsável pelo gerenciamento das infraestruturas precisa ser especializada nas duas configurações. 

A partir de agora, conhecer apenas sobre a infraestrutura do data center ou apenas sobre nuvens públicas não é mais possível. Ou seja, antes de implementar qualquer estratégia na organização é necessário contratar colaboradores que tenham as habilidades específicas ou treinar os colaboradores atuais.

Definição das estruturas físicas 

Uma coisa é entender que a estratégia de cloud híbrida é o que o seu negócio precisa, outra é definir qual a melhor estrutura para as demandas atuais. Neste ponto, é muito importante fazer um mapeamento de todas as necessidades e possibilidades do momento, comparando todas as opções. 

A seguir, listamos uma série de pontos que devem ser considerados:

  • Qual será a hospedagem da nuvem privada, local ou terceirizada?
  • Como acontecerá a distribuição de dados entre as tecnologias?
  • Quais necessidades de negócio devem ser priorizadas e como o design do ambiente híbrido poderá acomodá-las?
  • Qual a maneira mais rápida e segura de começar a migração de dados, em etapas graduais ou de uma vez só?   

Segurança de dados e compliance 

A busca pela segurança de dados, assim como acontece durante a contratação e treinamento da equipe de TI, deve ter dois focos diferentes. 

Muitas vezes os fornecedores de nuvem pública podem ter seus data centers em países que não tenham uma lei de proteção de dados tão rígida e abrangente quanto à LGPD. Além disso, como a nuvem privada é configurada de acordo com a empresa, toda a carga de segurança da informação fica sob a responsabilidade da própria organização. 

Para ter a certeza de que seus dados estão em conformidade com o que diz a lei, é necessário garantir que todos os requisitos de segurança estejam sendo seguidos em ambas as tecnologias. Caso a fornecedora de nuvem pública não ofereça todas as ferramentas de segurança necessárias, é preciso, então, definir quais dados precisam obrigatoriamente ser armazenados na nuvem privada e configurá-la de acordo. 

Durante este post, pudemos perceber que a cloud híbrida tem sido cada vez mais uma escolha das empresas que querem continuar seus projetos de transformação digital, sem deixar de lado a conformidade, segurança, flexibilidade e gestão de custos. 

Deixe um comentário